Início > Pessoal > Armadilha

Armadilha

Por Jacques

Kirkxsolo

Em Garruk VI, 3º planeta do sistema Llanowar, em uma loja de conveniências 35 horas, encontram-se no setor de frios Han Solo e James T. Kirk; os dois param de fronte da última embalagem longa vida de leite de gargodonte e cada um deles deduz o objetivo do outro. O capitão Kirk resolve iniciar as conversações:
– Olá… estou reconhecendo você de um grupo que fez relativo sucesso alguns anos atrás… Como seria mesmo o nome…
– Seriam os rebeldes?
– Não, não aqueles pivetes insuportáveis… O seu grupo tinha talento… Lembrei! Era o “The Corellian’s Beatles”! Eu adorava vocês… Não lembro porque o grupo terminou…
– Acho que está me confundindo com alguém, capitão, e confundindo os grupos também; eu me referi aos rebeldes que tinham naves maneiras e destruíam estralas da morte na mesma velocidade e eficiência que a Yoko Ono destruiu os Beatles.
– É… Acho que tem razão, seu cabelo, está diferente, mas como me reconheceu, senhor…
– Han Solo, a seu dispor, capitão! Eu o reconheci pela sua… digamos… reserva de adipócitos abdominais…
– Ah… Pois é… Ela é conhecida pelo universo inteiro e é por causa dela que estou aqui, já que meu médico receitou leite de gargodonte e exercícios físicos regulares para perder a barriga… Mas quando foi que começou a se expressar de forma nerd?
– É o estilo de vida caseiro que tenho agora que o império foi pro espaço… Eu passo o tempo jogando hologame com o Luke, fazendo pesquisas na holonet e fazendo compras para a Léia, que me pediu para comprar leite de gargodonte porque ela quer preparar torta de ameixa coluana… E eu acho que ela vai me fazer dormir na casinha do Chewie de novo se eu não conseguir levá-lo…
– Você faz seu melhor amigo dormir em uma casinha de cachorro? Isso é mais doentio do que o micro uniforme de nossas tripulantes arquetipicamente correta…
– Não, não… Chewie é o nome do nosso cachorro, em homenagem ao meu amigo wookie que voltou ao seu planeta natal… Este já é nosso quinto cão com esse nome, já que o Chewie eliminou os outros quatro por ciúmes…
– E como você sabe que foi ele?
– O som da arma que ele usa é inconfundível, e a quantidade de pêlos que ele deixa para trás… Cara, parece coisa de cena de crime da série CSI…
– E por que vocês não mudam o nome dos cães?
– É que a Léia gosta do nome e prefere ver os coitadinhos dos cãezinhos explodidos a mudar o nome deles… Ela é mais teimosa do que aquele seu amigo de orelhas pontudas…
– É… Eu já falei pro Bruce que o visual dark cansa após algumas décadas, mas ele insiste na capa e nos porta trecos…
– Não esse amigo, eu quero dizer aquele que tinha um programa na tv a crédito… como se chamava mesmo…
– “Spock dá o toque”?
– Isso mesmo! Aquela vez da final da maratona de Mercádia foi hilária… O corredor que estava em primeiro lugar nem viu o que o atingiu… E nos metros finais… Mas porque foi que o programa terminou?
– Foi por causa da surra que ele levou após nocautear um sósia do Darth Vader em uma convenção Star Wars… Os fãs do Vader só pouparam porque ele ameaçou sangrar em cima das miniaturas… Atualmente ele está trabalhando aos finais de semana em hospitais… Os médicos dizem que seu toque vulcaninjedi é mais saudável e barato do que os remédios…
Subitamente, a embalagem de leite de some por alguns instantes e se houve um leve “”zzzrrrmmm”.
– Você viu isso? Pergunta Kirk.
– Sim, vi, mas vou avisando que costumava beber licor de laranja shiar na época do co…
– Corelians Beatles? Eu sabia…
– Co… Légio! Completa Han. E pensa: “por pouco”!
– Certo… parece que a embalagem não passa de um holograma que serviu de isca para nos atrair até aqui…
– Pois é, Kirk… Eu bem que desconfiei do scanner de identificação na entrada, da promoção “pague 1 e leve 10” e das camisetas dos funcionários, onde está escrito “seja bem-vindo provável item de coleção”…
– É, Han, tudo indica que caímos em uma armadilha criada pelos piores inimigos que os personagens de ficção cientifica podem encontrar em suas andanças…
– Os Borgs?
– Não, piores!
– Os Khúndios?
– Muito piores…
– Os Silônios?
– Bem piores…
– Os… Pingos?
– Caramba, você lembra deles, Han? Parece que eles entraram para a história junto com a dança da Uhura com as folhas de palmeira e a minha luta com aquela gatona usando os cotonetes gigantes… Não, não são aqueles bolas de pêlo auto-replicantes e auto-irritantes; estou me referindo aos infames Seguidores de Kevin Smith, ou SKS, como preferem se denominar… Eles dedicam suas vidas a “colecionar” personagens, quer dizer, pessoas como nós, congelando-as em carbonita e deixando-as à mostra no museu kevinsmithsoniano, onde cobram entrada para mostrá-las…
– Aaahhh! Carbonita de novo, não! Desde que fui descongelado os meus joelhos doem cada vez que me aproximo de um cinturão de asteróides… Você trouxe alguma pistola, Kirk? Eu não trouxe a minha porque a Léia tem medo que eu me machuque…
– Não, eu não trouxe nenhum phaser, Han… Eu não esperava por…
– Você não esperava? Como foi que chegou a capitão, mesmo?
– Bom, eu…
– Foi uma pergunta retórica, Kirk… Já que não temos armas eu vou ver o que posso fazer com o que temos em mão… Com sua licença, deixe eu ver o que tem no seu cesto… Hein? O que é isso aqui? “ Preservativos Star Wars – Que a força esteja com você”?Ah, Kirk, seu safado… O que temos aqui? Ervilhas romulanas? É perfeito para combinar com meus aspargos novagenesianos em conserva…
– O que você pretende…
– Apenas observe, Kirk!
Han Solo pega o pote de ervilhas e o arremessa para cima, em seguida pega o pote de aspargos e arremessa contra ele, os dois potes se quebram e surge uma névoa verde escura que se espalha pela loja, levando pânico aos fregueses e funcionários.
– O que foi que…
– Depois eu explico, Kirk, agora peça ajuda para alguém de sua nave teleportar a gente daqui!
– O Noturno, a Blink, o dr. Manhatan e os personagens de Diablo e Warcraft se teleportam, Han; nós de Star Trek nos teletransportamos…
– Sei, sei… Como se mudar o nome de alguma coisa tornasse essa coisa mais original ou interessante…
– Como é mesmo que vocês de Star Wars denominam suas espadas mágicas?
– Aham… Discussões inúteis não irão nos levar a lugar algum, Kirk…
– Com certeza não… Mas o sistema de teletransporte da Enterprise vai!
Dizendo isso, Kirk apanha seu comunicador do bolso e fala:
– Kirk para Enterprise! Responda Enterprise!
– A Enterprise não é capaz de expressar-se verbalmente desde que alguém inadvertidamente derramou café em seu sistema de inteligência artificial, capitão; agora tudo o que ela consegue dizer é: “dii-reee-triz!”
– Spock! Que bom ouvi-lo! Escute, você precisa…
– Lhe asseguro que seu sarcasmo é totalmente é totalmente desnecessário, capitão… O fato de ter me derrotado no xadrez uma vez não lhe dá direito de agir como superior… se bem que tecnicamente você é superior, mas…
– Spock! Por favor, ouça! Estamos em apuros aqui…
– Estamos? Não vá me dizer que está noivo novamente, capitão… Impressionante que a desculpa da “viagem de cinco anos” que o senhor usa para adiar os casamentos que o senhor usa para adiar os casamentos continue a funcionar depois de algumas décadas…
– Spock! Apenas me leve para cima junto quem estiver ao meu lado, certo?
– Devo lembrá-lo de que esta não é minha função, capitão…
– Spock, ou você nos teletransporta agora mesmo ou eu vou contar para todos aqui embaixo sobre o seu vício…
Nisso, Kirk e Han são levados ao interior da Enterprise, e se materializam na ponte de comando, ao lado de Spock, doutor McCoy e Luke Skywalker.
– Em ervilhas romulanas… Ah! Resolveu se mexer, hein?
– Não creio que minhas preferências alimentares sejam da conta daqueles mentecaptos de mentalidade doentia, capitão…
– Aaahhh! Você sabia que a loja era uma armadilha dos SKS e me deixou ir lá assim mesmo? Poxa, décadas de amizade e é assim que você me trata…
– Eu apenas segui o curso de ação mais lógico, capitão… Se isso o aborrece, então peço desculpas…
– Como assim “curso de ação mais lógico”?
– Simples… Eu o enviei à armadilha toscamente engendrado pelos SKS para que buscasse ervilhas romulanas par meu consumo próprio, para me evitar que uma possível abstinência viesse a atrapalhar minhas decisões futuras, o que sem duvida colocaria a vida de todos nesta nave em perigo, capitão…
– Hhhmmm… Faz sentido… De um jeito meio deturpado mas faz sentido… Mas o que este jovem está fazendo aqui n aponte de comando? O dia de visita escolar é na sexta…
– Fui eu que pedi pelo rádio para o senhor Spock me trazer aqui, capitão, já que sem querer eu dei marcha à ré na Millenium Falcon e quebrei três…
– Cinco, rapaz! Corrige Spock.
– Está bem… Quebrei cinco dos faróis dianteiros da sua nave…
– Eu não falei para não mexer em nada? Parece o Chewie…
– Foi mal, Han… É que eu queria ver se os controles eram iguais aos da Millenium Falcon do jogo “Star Wars Race IV”… Mas quem são esses SKS?  Seriam “Soul Kalibur Soldiers”? Eu adorava aquele jogo, quer dizer, a história era idiota e a jogabilidade era péssima, mas os gráficos eram demais… Olha, longe de mim querer ensinar a todos aqui o que é certo, mas não pude deixar de notar que o Han e o capitão Kirk não pagaram pelos produtos que trouxeram da loja… Acho que os dois deveriam voltar lá e pedir desculpas por…
Nesse momento, Spock se aproxima de Luke e usa seu toque nele, o que faz com que ele desabe no chão, para alívio dos demais presentes.
– Peço perdão pela minha atitude abrupta, senhor Solo, mas ele estava começando a me irritar profundamente… E eu nem emoções tenho! Parece que a realização de ações quase impossíveis não se restringe apenas aos tripulantes da Enterprise… Fascinante…
– Tudo bem, senhor Spock… Eu já estava me preparando para quebrar uma cadeira nas costas dele mesmo… E eu que achava essa sua habilidade mais inútil do que olho mágico em caixão e só funcionava na TV… Ela me seria bem útil para quando o Luke quer me mostrar um novo hologame ou para aqueles dias em que a Léia está na TPM…
– Você não deveria tratar sua esposa assim, meu jovem, eu tenho aqui comigo alguns comprimidos que podem…
– Ah! Cuidado com a carteira Han! O magro vai querer lhe empurrar todos os remédios que tiver com ele a preços de ocasião… Mas aproveitando que está aqui, magro, use o tricorder no Han para eu saber se ele é o mesmo Han do “The Corelian’s Beatles”…
Com um leve sorriso no rosto, o dr. McCoy apanha seu tricorder, que ao ser aberto faz um som característico, e o aponta para Han Solo. Subitamente, Spock fala:
– Você sente um prazer doentio nisso, não é mesmo, dr. McCoy?
– Nisso o quê, Spock?
– Em ligar o seu tricorder apenas para ouvir o som que ele faz! Devo lembrá-lo de que o tricorder serve para fazer uma análise detalhada das condições homeostáticas do individuo analisado, realizar análises de DNA e indicar o melhor tratamento para cada caso…
– Eu admito que gosto de ouvir o som que o tricorder faz ao ser ligado; é um som tão legal qiuanto o som da sirene do ECTO 1, das batalhas de sabre de luz , do motor do DeLorean do “De Volta Para o Futuro”, da transformação dos Transformes, dos jatos planares do Homem de Ferro…
– Então você admite?
– Sim, eu admito…
– Ah… Eu sabia…
– Você sente um prazer doentio nisso, não é mesmo senhor Spock?
– Nisso o quê, doutor McCoy?
– Em diminuir e menosprezar a diversão alheia?
– Mas é óbvio que não, dr.! Eu não…
– Olha pessoal, eu posso voltar outra hora, se vocês estiverem ocupados…Ver os dois discutindo desse jeito me fez ter saudades do falatório incessante do C3PO…
– O senhor Solo está certo, dr… A discussão que você iniciou não nos levaria a nada!
– Mas foi você que…
– Apenas proceda a análise, dr.! E pensa: “salvo!”
– Está certo…
O dr. McCoy aponta o tricorder para Han Solo e fala:
– Hmmm… De acordo com isto… O nosso amigo aqui…
– Sim? Sim? Pergunta Kirk ancioso.
– Está vivo! E muito bem de saúde, infelizmente… Saco…
– Poxa, que alívio! Estou vivo… Cara, eu já estava começando a pensar o pior…
– Todos aqui sabem que ele está vivo, magro! Mas quem é ele na verdade, afinal?
– Bem… A análise de DNA conectada ao registro da holonet confirma que o verdadeiro nome do colega aqui é Han…
– Certo… Certo… Eu admito! Eu fazia parte do “The Corelian’s Beatles” e saí do grupo por que nenhum dos outros integrantes apreciava minhas performances com a guitarra…
– Ah! Então foi assim que você ganhou o apelido de Han “Solo”?
– Sim, como aqueles manés sem visão não me davam valor eu resolvi deixar o grupo… Como a multa rescisória era altíssima eu fugi para aquele planetinha mais escondidos que umbigo de gordo e comecei a trabalhar de contra… Aham… Comerciante de produtos isentos de impostos onde conheci o faladorminhoco ali…
– E como você sabia o que aconteceria quando os conteúdos dos potes de ervilhas e aspargos se misturassem?
– Bem, Kirk… A Léia me obriga a memorizar todos os conservantes que não podem ser misturados depois que eu quase explodi a nossa cozinha… O descascalcinador de legumes que ela ganhou de presente de casamento ficou em pedaços menores do que QI de ewok… Ela nunca me perdoou…
– Capitão, devemos pensar agora no que fazer em relação aos SKS, quer devem estar espalhando pelos meios de comunicação neste momento que colocaram o senhor e o senhor Solo para correr…
– Bem, Spock, como eu e o Kirk não nos machucamos então acho que não faz mal deixar esses “manerds” espalharem suas mentiras pela net… Ninguém vai acreditar neles mesmo…
– Devo lembrá-lo senhor Solo de que os “manerds” a quem se refere planejavam deixá-lo à mostra em um museu onde adolescente intelectualmente deficientes iriam fazer holos de qualidade sofrível defronte de sua carcaça congelada para todooo o seeempre…
– Hmmm… É… Que armas vocês tem aqui mesmo? Torpedos fotônicos e lasers?
Kirk, McCoy e Spock falam ao mesmo tempo:
– Phasers!
– Isso, isso… Acho que os dois juntos deixariam aquela loja em mais pedaços do eu os casamentos da Madonna…
– Acredito que violência insensata e destruição impensada não se aplica a este caso, senhor Solo… Acredito que o melhor que temos a fazer é esperar até que o nosso jovem Jedi desperte, então diremos a ele que os SKS lá embaixo sabem de detalhes do jogo “Star Wars Race V”, que ainda não foi criado e o teletransportemos até eles e só concordaremos em trazê-lo de volta se eles desistirem dessas armadilhas tolas…
– Ele… Me assusta!
– É, eu também me assusto com ele, Kirk! E só o conheço há poucos minutos…
– Eu acho a idéia do Spock válida… Esses caras ganham dinheiro com o sofrimento alheio… Quem eles acham que são? Advogados?
– Ou talvez médicos, dr. McCoy?
– Aahh… Orelhudo insuportável…
– Eu concordo com a idéia do Spock… Está na hora de ensinarmos uma lição àqueles imbecis… Acho que duas…
– Quatro, capitão! Interrompe Spock.
– Está bem… Quatro horas com nosso jovem aqui será suficiente… Acho que isso compensará os faróis que ele quebrou…
_ Hm… O senhor Spock conseguiu encontrar uma utilidade para o Luke… Agora entendo porque ele tem tantos fãs na net… Pena que a Léia vai se zangar comigo por eu não ter conseguido o leite…
– Sem problemas, Han, nós temos leite de gargodonte de sobra na dispensa… Eu tinha ido à loja mais por causa das ervilhas mesmo… Mas eu não imaginava que o destemido Han Solo, que já enfrentou desde tietes enlouquecidas até frotas inteiras de cruzadores imperiais pudesse ter medo de uma simples esposa…
– Aquela “simples esposa” sabe dizer “diz adeus aos teus intestinos, seu filho de uma cadela durlaniana!” em 78 línguas diferentes… O dia em que você se casar com uma princesa de série de ficção cientifica você vai entender o meu… Hmm… Receio, Kirk…
– Acontece que eu já sou casado com essa nave, Han!
– É… Boa desculpa essa… Uma pena eu não ter pensado nela…
– Não fique triste Han… Você ainda pode tentar ser feliz, mesmo casado!
– Você… Acha que… Isso é possível, Kirk?
– Claro… Você só precisa recriar a atmosfera de quando eram solteiros… Eu posso arranjar para que vocês dois sejam aprisionados em um planeta tecnologicamente atrasado após uma aterrissagem forçada onde as roupas de sua esposa serão rasgadas estrategicamente, por você é claro, e então…
– Hm… Continue…
– Aí, mais respeito, senhor Spock! Eu é que digo se ele deve continuar ou não!
– Desculpe, senhor Solo… É que nós vulcanos só fazemos sexo a cada sete anos, então descrições de moças atraentes com roupas provocantes exercem efeitos aleatórios em nossa fisiologia…
– É sério? Caramba…
– Sim, é verdade, Han… Responde o dr. McCoy e pensa: “ sortudo!”
– Bom, como eu ia dizendo, o Han e a Léia são aprisionados, os comunicadores deles são tirados deles e…
– Um momento, Kirk, nós não usamos comunicadores, usamos algo parecido chamado “celular”… Mas você faria o mesmo isso por nós?
– Sim, você me ajudou a escapar daqueles idiotas e agora eu ajudo você! Então… Você a resgata heroicamente do cativeiro, como nos filmes do Errol Flynn, e o fogo da paixão de vocês volta a queimar… E mesmo que algo de errado, traremos vocês de volta através dos comunicadores-sinalizadores escondidos em suas roupas!
– Bem pensado… Mas porque vocês não usavam esses recursos na série clássica, Kirk?
– Kirk faz uma cara de quem pela primeira vez vê Susan Boyle cantar e olha para Spock, que diz:
– Eu não tenho resposta para tudo, capitão…
– Ahn… Isso não importa agora, Han… Vamos fazer o seguinte…

Anúncios
Categorias:Pessoal Tags:, , , , , ,
  1. 09/11/2011 às 14:42

    What an all round incredibly written piece!

  1. No trackbacks yet.

O que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: