Inicial > Artes > Superpato 40 Anos

Superpato 40 Anos

Na semana passada adquiri a revista em quadrinhos Superpato 40 Anos, lançada em dezembro de 2009 pela Editora Abril. Como não andava acompanhando as publicações da Disney nos últimos anos, não tive conhecimento desse gibi até bem pouco tempo, mas ao descobri-lo tive que comprá-lo, pois sou um grande fã do personagem, ele é o meu preferido no universo Disney.

Como o título sugere é uma edição especial comemorando os 40 anos de existência do personagem que foi criado para atender as crianças italianas que reclamavam do Pato Donald sempre se dar mal, assim para não alterar a base do personagem foi criado o seu alter-ego, o Superpato que é bem mais competente e foi um grande sucesso. Enquanto em sua identidade normal o Donald continua bancando o idiota preguiçoso.

A capa é do italiano Giorgio Cavazzano e tem 196 páginas, incluindo as capas. Contem sete histórias selecionadas por Paulo Maffia, as duas últimas inéditas no Brasil. As traduções e letras de todas as histórias são do Estúdio Lua Azul.

As imagens que usei nesse artigo vieram do site Inducks  http://coa.inducks.org/.

Vamos as histórias:

Superpato, O Diabólico Vingador

Essa história italiana de 1969, mostra a origem do personagem, tem 59 páginas, foi escrita por Guido Martina e desenhada por Giovan Batista Carpi.

Ela já foi publicada no Brasil algumas vez, mas vários quadrinhos foram cortados e o texto no final editado. Lendo a versão completa e comparando com as anteriores, notasse que a maioria dos quadros anteriormente censurados mostram o Superpato antagonizando a polícia e no texto original o Gastão leva a culpa de roubar o Tio Patinhas, enquanto no que era apresentado em revistas brasileiras mais antigas ele era inocentado e o Superpato levava a culpa.

A história mostra Donald ganhando uma casa antiga, nessa propriedade ele encontra o diário do vigilante Fantomius, uma espécie de Hobin Hood vitoriano. Donald decide seguir os passos de Fantomius usando os equipamentos de seu predecessor e outros criados pelo Professor Pardal. Mas nessa história ele está mais preocupado em se vingar do Tio Patinhas e do Gastão pela formas que eles o tratam, do que ser um herói. Ele acaba roubando o tio e incriminando o primo, mas não fica com o dinheiro.

Superpato e A Revolta dos Maridos

Publicada na Itália em 1978, tem roteiro de Giorgio Pezzin, desenhos de Massimo De Vita e 31 páginas.

Cansados de terem suas esposas idolatrando o Superpato e os comparando com ele, os maridos de Patópolis se unem e usando uniformes do Superpato começam a pregar peças de mau gosto nas mulheres para difamarem o herói, o que funciona muito bem.

Naturalmente o Superpato acaba descobrindo e para o terror dos maridos revelas as esposas o que estava acontecendo, acaba sobrando até para o Donald.

Clube dos Heróis – Ameaça dos Meteoros

História brasileira produzida em 1986, escrita por Arthur Faria Jr. e desenhada por Irineu Soares Rodrigues, possui 15 páginas.

Nessa aventura o Clube dos Heróis enfrenta o Professor Gavião, que usa uma máquina para controlar o curso de meteoros e tenta chantagear a cidade.

Alias o Clube dos Heróis é uma criação brasileira, um grupo de heróis reunindo personagens da Disney, semelhante aos Super-Amigos. Sua base de operações se mantém flutuando camuflada em uma nuvem e pode se deslocar por ai.

Superpato e o Misterioso Cartola Mascarado

Publicada em 1987 na Itália, contém 35 páginas escritas por Massimo Marconi e desenhadas por Massimo De Vita.

Aqui temos a origem do Cartola Mascarado, o alter-ego do Tio Patinhas. Na verdade após não conseguir contatar nem o Superpato, nem a Superpata para escoltar um de seus carregamentos de dinheiro, o Tio Patinhas decide usar um disfarce de super heróis para assustar possíveis assaltantes.

Os outros dois vigilantes acabam acompanhando o carregamento, ele é atacado e os dois derrotados, mas o Cartola Mascarado acaba salvando o dia.

Superpato – Hunguinho, Zezinho, Luisinho e o SuperTio

Uma história italiana de 2005, com 30 páginas, roteiro de Riccardo Secchi e desenho de Alessando Perina.

Os sobrinhos do Donald quase descobrem quem é o Superpato, mas ele consegue desviar a atenção e todos juntos passam por uma grande aventura onde os sobrinhos salvam o dia.

Superpato – O Som do Crime

Até então inédita no Brasil, foi publicada na Dinamarca em 2006, tem 15 páginas escritas por Byron Erickson e desenhadas por Mardon Smet.

Um novo vilão aparece em Patópolis, ele usa equipamentos que lhe oferecem poderes sônicos e vence o Superpato várias vezes até ser capturado.

Crime no Coliseu

Outra história dinamarquesa, essa de 2009, roteiro de Lars Jensen, desenho de Francisco Rodrigues Peinado e arte-final de Enriqueta Perea. Possui apenas 6 páginas.

O Tio Patinhas compra o Coliseu, um antigo cinema de Patópoles e pretende destruí-lo para fazer um estacionamento no lugar. O Superpato decide proteger esse patrimônio da cidade e o Patinhas acaba se dando muito mal.

Por hoje é isso.

Até.

Anúncios
Categorias:Artes Tags:, ,
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

O que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: