Início > Pessoal > Diálogos probabilisticamente possíveis – Incidente diplomático

Diálogos probabilisticamente possíveis – Incidente diplomático

Star Trek – Cena excluída

 

– Mensagem prioritária chegando do Alto Comando Klingon, Capitão! Na tela!

 

– Entendido, Uhura. Aahhh… É o senhor, Comandante Krynak? O que nós podemos fazer por vocês klingons, hoje?

 

– Saudações nada amigáveis, Kirk! Eu solicito, não… Eu EXIJO uma explicação para as dezenas de nossas naves de guerra destruídas recentemente próximas a…

 

– Aaaahhhh… Isso. Nada demais. Foi só a Frota Estelar limpando a sujeira que vocês klingons deixaram pra trás. De novo.

 

– O QUÊ? Sagrado Grshnaark! Como ousa insultar desta forma um condecorado oficial vencedor de…

 

– Se está dizendo. O que ouvi dizerem foi que da última vez que vocês venceram uma batalha, a cantora ancestral de arqueopop Madonna ainda conhecia o significado da letra de seu sucesso “Like a Virgin”…

 

– Se está tentando me ofender levianamente, Kirk…

 

– Tá, tá. Quodcumque fuerit…

 

– O QUÊ? Se estiver me ofendendo ainda mais em sua língua odiosa…

 

– Nada disso, Vossa Estresseza. Isso que eu falei é latim, considerada a língua dos sábios de meu planeta, e quer dizer…

 

– “Seja como for”, usando o vernáculo terrestre do século 21, “pega leve” ou “que seja”, expressão difundida mundialmente na Terra desde aquela época pelo personagem Relâmpago MacQueen, da animação intitulada “Carros”, dos estúdios Quantar, antiga Pixar…

 

– Obrigado, Primeiro Oficial Spock.

 

– Assim chamada até assimilar os Estúdios Disney em agosto de…

 

– SPOCK!

 

– Perdão, Capitão.

 

– Quodcumque fuerit, Spock. Mas com certeza seria demais esperar que um klingon ganhador de tantas batalhas no hologame entenderia latim. É verdade que vocês são imunes ao câncer porque ele não consegue se desenvolver em meio ao mau humor de vocês?

 

– Suas injúrias descabidas ultrapassam o limite do suportável, Kirk. As particularidades da fisiologia klingon não são de sua alçada, humano. Se não me responder o que aconteceu às naves…

 

– O que aconteceu foi que a tripulação da Enterprise conseguiu deter Nero, um romulano dissidente vindo do futuro que destruiu suas naves e mais algumas das nossas…

 

– E espera realmente que eu acredite nisso, Kirk?

 

– E porque não acreditaria? Vocês acreditam até que podem vencer a gente. Nossa. Uma última pergunta antes de eu desligar a tela na sua expressão ensandecidamente aparvalhada. É verdade que o propósito real da camuflagem de suas naves Aves de Rapina é impedir que seus inimigos os vejam fugindo das batalhas?

 

– SEU FILHO DE UMA…

 

– Até mais ver! Uhura, interromper comunicação e bloquear qualquer outra tentativa de transmissão.

 

– Sim, Capitão.

 

– Não sei se essa foi a atitude mais…

 

– Lógica, Spock? Me poupe. São só klingons. Eles não conseguiriam acertar um tiro no vácuo nem se mirassem nele.

 

– Eu ia dizer sábia. A beligerância inata desta raça…

 

– Tá, tá, tá, Spock. É que estes caras me irritam… “Esse Sol está muito quente… DECLARO GUERRA A ELE!”, “Este chão está muito liso… DECLARO GUERRA A ELE!”, ah, por favor. De qualquer forma, um conflito real com eles servirá como um excelente treino de combate.

 

– Indubitavelmente, esta seria uma forma um tanto insensata de aprimorar as habilidades de nossa inexperiente tripulação , Jim… E me parece que sua repentina promoção ao posto de Capitão não lhe deu a seriedade suficiente para…

 

– Relaxa, Spock! Nós cuidamos do que aparecer pela frente… Por sinal, que planeta é aquele ali na frente? É desabitado?

 

– Deixe-me analisar. LV-426. Atmosfera respirável. Contém apenas uma pequena colônia humana que…

 

– Ótimo! Sulu!

 

– Sim, Capitão?

 

– Use os phasers para escrever na superfície do planeta “Se conseguir ler isto, parabéns! Você com certeza não é um klingon!”. E faça letras grandes, viu? Quero que consigam lê-las do outro Sistema.

 

– Mas Kirk, eu nunca usei nossas armas desta…

 

– Ah, mas de que adianta ter uma nave deste tamanho se o pessoal não tem imaginação suficiente para usá-la? Deixa que eu mesmo faço isso! Vai aprendendo como se faz, Sulu. Olha só. S…

Anúncios
  1. 08/08/2011 às 22:48

    Jacques,
    putz! Muita criatividade amigo! Fiquei tooonta, nem sei o que comentar…
    O Spock é muito sinistro rsrs
    Mas cara, bem que esse diálogo é possível mesmo!
    Ai, ai… e bem que tu podia pensar em escrever um livro de crônicas de humor, heim? Não sei se ia vender, porque só vende esses caras que não escrevem nada tipo o Paul Rabbit, mas tudo bem… De repente tu faz algo do tipo “auto-ajuda” ou misticismo, daí vende! rsrss

    Jaques, legal que tu entrou no Face, um bom canal de divulgação e também para amizades, claro! Abraçãoooo

  2. 08/08/2011 às 23:04

    Valeu, Ana.
    Acabei de adicionar a Dani Neves; as fotos dela são de arrepiar…
    Esse pessoal da yoga se diverte de forma incrivelmente desafiadora.
    Na verdade, quem era chegado nestes rompantes de verborragia era o Spock original, e não o atual.
    E como você não é (exageradamente) nerd, eu posso te contar uma referência do texto: o planeta LV-426 é onde se passa o filme Aliens, o Resgate, de 1986 (antes do James Cameron viajar na megalomania dos efeitos especiais e deixar o roteiro de lado).
    Não conheço Paul Rabbit, mas vou pesquisar.
    Abração.

    • Fábio Ochôa
      10/08/2011 às 09:33

      Ele é nosso amigo alquimista, o Paulinho Coelho.

      • 10/08/2011 às 11:10

        Valeu, Ochôa, eu não tinha entendido…
        Isso é pra você ver como meu cérebro funciona (ou não)…

  3. Fábio
    08/08/2011 às 23:48

    heheheheheh Muito divertido, o Kirk depois de ligar o botão de foda-se XD

  4. 09/08/2011 às 13:08

    Inexperiência + ego inflado + q.i. elevado + preconceito estadunidense com as demais raças + nave cheia de armas = eu não ficaria na frente dele se fosse você…
    Valeu, Fábio.

  5. 09/08/2011 às 17:18

    Show de bola.
    Faço minhas as palavras da Ana.
    Deverias escrever um livro de crônicas de humor.

  6. 09/08/2011 às 20:32

    Agradeço a confiança depositada Marco, mas acredito que hoje em dia escrever livro é algo contraproducente, já que ele estará escaneado de graça na internet o dia em que for lançado.
    Escrevo por diversão (ou, como diz o Rafael: porque é um desafio), se alguém mais se divertir com isso, ótimo.
    Dê uma lida nos textos mais antigos da seção Contos, que acho que irás gostar.
    Até.

    • Fábio Ochôa
      11/08/2011 às 09:54

      Sinceramente, estava a fim de compilar os melhores posts do Fantástico Cenário em livro, a ser vendido via site mesmo.
      Algo na linha da Editora Secreta.
      http://editorasecreta.com.br/

      • Fábio
        11/08/2011 às 23:46

        Parece interessante.

    • Fábio Ochôa
      12/08/2011 às 14:59

      Ué, é o pessoal se mexer, que rola.

  7. 09/08/2011 às 23:30

    Jacques, muito bom mesmo! Agrada até mesmo que não é (muito) fã de Star Trek ( eu! rs) com ótimas tiradas! E eu acho que a última vez que os Klingons venceram uma batalha deve ter sido quando a cachorrinha Laika foi enviada ao espaço – os inimigos dos Klingons estavam distraídos olhando a cena e aí sofreram um ataque surpresa.

    E a beligerância desses Klingons me lembra a de uma certa nação terrestre que mete o bedelho em tudo e qualquer coisinha já invade, explode, destrói um país.

    Ah, mesmo que você considere contraproducente, a sugestão da Cissa é muito boa, viu? Pense nisso. Pode ser também uma diversão ( cara, eu sei) e um desafio ( caro, eu sei).

    Valeu, abraço!

    PS: realmente, tem muito conteúdo de qualidade por aqui. Preciso tirar um tempo para colocar essas leituras em dia. Também adoro quadrinhos, tanto quanto literatura. Quanto às redes sociais, têm mesmo esse lado fútil, mas também é possível fazer amizades pela net. Eu já fiz algumas bem interessantes e das quais hoje tenho contato “no mundo real” e pelo bom e velho telefone. E o twitter é preciso MUUUUITA paciência, porque Clarice Linspector domina o pedaço. #tenso

  8. 09/08/2011 às 23:42

    Pois é, Jaime, cada planeta tem os klingons que merece…
    Quando pessoas inteligentes como você e os demais que comentam por aqui nos dão conselhos, é melhor pensar no assunto…
    Valeu.

  9. 16/08/2011 às 13:35

    haha, a idéia do livro de crônicas é realmente ótima Jacques. E o legal é que por um momento, lendo o texto, me lembrei de uma reunião de condominio no meu prédio,onde os moradores tem por hobby guardar rancor e executar pequenas sacanagens uns com os outros por anos a fio…hahaha
    muito bom! abração!

    • 16/08/2011 às 15:44

      Valeu, Vinícius.
      Então vida em condomínio é assim, hein?
      Deve ter sido daí que o Laerte tirou a ideia de criar seus personagens insólitos morando sob um mesmo teto.
      Até mais.

  1. No trackbacks yet.

O que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: