Início > Pessoal > Voltamos para o WordPress

Voltamos para o WordPress

Após uma aventura de dois meses em terras remotas – leia-se Blogger – decidimos voltar à nossa terra natal. Essa jornada nos custo algumas baixas, mas uma nova aventureira juntou-se ao grupo.

Em território distante e inexplorado ganhamos bastante experiência, descobrimos novas culturas, novas ferramentas, trocamos conhecimentos com os nativos de lá. Enfim, nosso grupo experimentou, sofreu, observou e aprendeu bastante nessa aventura.

Dentre os motivos que nos levaram para essas novas terras, cito a lenda da flexibilidade e da liberdade que o Blogger dá. As  lendas são muitas e relatadas em diversos blogs em uma sina de recorta-e-cola, todos informando as mesmas técnicas falhas de “tapa furos” do Blogger. descobrimos que, embora limitado para algumas coisas, o WordPress não engana, é sincero.

Gostaria de compartilhar um pouco do que aprendemos com isso, o que chamo de os 7 pecados capitais do Blogger:

1. Sistema de comentários de posts

O WordPress permite comentar um post e responder aos comentários (reply) de forma identada (em cascata). Podemos discutir assuntos e responder perguntas diretamente a quem perguntou. Já no Blogger, o comentário é em forma de fila (um após o outro), sem possibilidade de reply. Após cansativa busca, mais de 30 blogs ensinavam sua técnica para modificar a configuração do Blogger para possibilitar reply. Só que como era tudo recorta-e-cola, todos ensinavam (porcamente) uma gambiarra que apresentava uma marcador seguido do nome de quem se estava respondendo antes do texto da resposta. Gambiarra mal feita. Numa discussão grande como no Queime vaca, queime – Star Wars ou no Deus fez o homem a sua imagem e semelhança não haveria possibilidade de entendimento.

2. Gadgets e widgets

A grande propaganda do Blogger é a imensa quantidade de gadgets/widgets para o blog. Porém, o que fica nas entrelinhas é que a maioria desses dispositivos são desenvolvidos por empresas particulares, baseadas no código aberto do Blogger, que as vendem e não tão barato assim. O WordPress, além de ter mais widgets que o Blogger em sua versão livre, não esconde isso, pelo contrário, informa desde o início as limitações de sua versão gratuita. Ademais, cada widget do Blogger carrega lenta e independentemente. Uma solução que os blogs copia-e-cola davam era hospedar as widgets em um provedor particular!

3. Links, autores  e vínculos

O WordPress, por mais incrível que isso possa parecer, tem um excelente motor de busca interna para o blog. Não sei como a Google não conseguiu fazer algo eficiente para o Blogger. Tentei buscar no Blogger meus artigos e não encontrei nem pelo meu nome, nem por palavras contidas no texto, tem pelo título exato do post entre aspas. Para achar o Músicas que detonaram em filmes – parte 1, tive que procurar no Google para vinculá-lo ao Músicas que detonaram em filmes – parte 4. O motor de busca do Blogger encontrava o parte 2 e o parte 3, mas o parte 1, não.

No Blogger, quando se clica no nome do autor, ao invés de obter a lista de todos os posts por ele escritos, como inteligentemente é aqui no Worpress, aparece uma página com a lista dos blogs que esse autor participa inutilmente.

O Blogger ainda tem um sistema de arquivamento de posts antigos que muda o endereço original do post, prejudicando links inseridos em outros posts.

4. Ajuda para iniciantes e registro de domínios

Quando registrei o domínio www.fantasticocenario.com.br, tive dificuldade em vinculá-lo ao blog. Entrei na ajuda do WordPress, postei uma pergunta à noite, recebi resposta pela manhã do dia seguinte perguntando detalhes da minha dificuldade, que reportei na mesma manhã, obtendo resposta e solução para o problema no início daquela tarde. No Blogger, fiz uma pergunta dia 28 de dezembro  de 2011 que está aberta até hoje, sem resposta.

Os mais de cem blogs recorta-e-cola não foram suficientes para tirar minha dúvida sobre transferência de domínio para blog, muito menos os fóruns e a ajuda do Blogger. A ajuda do Blogger usa o chato sistema de adivinhação do que se está procurando da Google. Quando se procura algo que ele não encontra, ao invés de simplesmente dizer “não achei”, ele lança coisas aproximadas, que tomam muito do nosso tempo, pois temos que entrar e ler para ver que não era aquilo que procurávamos. Não acredita? Desafio vocês a procurarem “reply” ou “responder comentário” na ajuda do Blogger.

5. Conteúdo disponível para iniciantes

Se você é principiante, assim como nós, não se iluda com as propagandas de “ganhe dinheiro com blog” ou “trabalhe em casa” isso é raro, muito raro, e demanda exclusividade. Se tem um blog como hobbie, comece pelo simples. O WordPress é conciso e fácil de usar, não engana e é direto. O Blogger suspeita, é autoritário em decisões e esconde todas as falhas nas políticas de privacidade.

O WordPress não precisa de pesquisa ou ajuda em outros blogs que prometem soluções mirabolantes. É fácil de usar. O Blogger, apesar de toda propaganda, é difícil e inconsistente. Ele é pesado e monta o blog com CSSs pesadas e inúteis.

6. Editor de postagem

O editor do WordPress é auto-explicativo. É simples e eficiente. No Blogger, tivemos 3 experiências ruins: o editor da interface antiga do Blogger é ruim, pois não mostra as coisas exatamente como vão ficar no post. Ainda, o Blogger nos fez aderir compulsoriamente à nova interface (o mesmo fizeram com o Gmail), que não mudou muita coisa, mas levou tempo até que descobríssemos como mudar de volta pra versão antiga. Por fim, um dos autores (Fábio Ochôa), quando logava, não importa a máquina que usasse ou a rede que acessasse, tinha um editor com botões faltando (não conseguia postar vídeo, imagem, nem fazer o “resumo do post“). Tentamos ajuda nos fóruns e na ajuda do Blogger em vão, pois não fomos respondidos.

7. Tags e categorias

Por derradeiro, a pior experiência que tivemos nas terras distantes: a classificação do blog. No Blogger não existem tags e categorias. Existe apenas “marcadores”. Os marcadores funcionam como as tags do WordPress, porém com menos eficiência, pois acessando um marcador do nosso blog, não resultou na listagem de todos os posts com aquele marcador. Não sei qual o critério usado pelo Blogger, mas não funcionou para mim.

Já no WordPress, podemos fazer uma classificação de posts mais eficiente, pois podemos criar categorias e sub-categorias, além de escrever descrições sobre cada uma delas, tudo isso independentemente das tags utilizadas no post. O motor de busca é eficiente tanto na localização das tags, quanto das categorias e sub-categorias, o que permite um real retorno quando se busca por determinado assunto.

Considerações finais

Nem tudo que reluz é ouro. Essa é a lição que levamos nessa experiência fora daqui. A vantagem disso tudo é que serviu para nos mostrar que antes estávamos no caminho certo. Valorizamos algumas facilidades que aqui tínhamos e lá fizeram falta.

Música que embalou a escrita desse post: Baby Come Back – Player

(…)
Baby come back, any kind of fool could see
There was something in everything about you
Baby come back, you can blame it all on me
I was wrong, and I just can’t live without you
(…)
Anúncios
Categorias:Pessoal Tags:, ,
  1. Silas
    31/01/2012 às 17:07

    Concordo com tudo!

  2. 31/01/2012 às 21:35

    eu tive um blog no blogspot antes, mas depois que fiz a Poltrona, acabei preferindo o wordpress mesmo.

  3. 01/02/2012 às 14:26

    Valeu Silas e Vinícius. É muita propaganda em cima de um produto muito falho.

  4. 05/02/2012 às 17:40

    oi rafael, tudo bem?

    vi seu comentário no meu blog, desculpa a demora pela resposta.
    a versão atual (grátis) do blogger está mais completa atualmente, durante muito tempo não foi assim, faltavam algumas funcionalides importantes no blogger, como por exemplo a possibilidade de criar páginas estáticas, o que sempre foi permitido no wordpress.

    outra diferença são as categorias, que não estão presente no blogger, mas que têm caído em desuso e não fazem tanta diferença assim no que respeita a otimização do site para motores de busca (seo), as etiquetas/marcadores/tags ganharam um peso muito maior nos últimos anos e atualmente são mais importantes do que as categorias no que respeita à indexação do conteúdo em motores de busca.

    mas na minha opinião o verdadeiro diferencial do blogger, na versão grátis, é a possibilidade de editar o html do blog. a versão gratuita do worpress não permite essa possibilidade o que impossibilita por exemplo a instalação de scripts importantes para mensuração do site.

    lembrando que estou apenas falando das versões gratuitas do blogger e wordpress. para as versões pagas, hospedadas em domínio próprio a história é outra.

    obrigado pela visita!

  1. No trackbacks yet.

O que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: