Arquivo

Posts Tagged ‘DC’

Inimigos

alfredpennyworth12212012

Leia mais…

Anúncios

Create your own Superhero

Pra quem não “torce” pra Marvel nem pra DC, tem um kit que permite a criação do seu próprio super-herói.

Leia mais…

Mulher Maravilha – A heroína guerreira

05/11/2010 6 comentários

Por Jacques

Criada pelo psicólogo William Moulton Marston e desenhada pela primeira vez em 1941 (em plena Segunda Guerra Mundial, quando super-heróis foram criados às baciadas e a DC Comics ainda se chamava National Periodics) por H. G. Peter, a Mulher Maravilha tornou-se um destes personagens símbolo de gibi de super-heróis, o que não a torna menos carismática ou interessante de se ler.

Sendo um dos membros fundadores da Liga da Justiça (na cronologia antiga), a princesa Diana alcançou um status comparável ao de personagens como Super-Homem e Batman (formando com eles o que passou a se chamar de “Trindade”, ou seja, uma espécie de alicerce para o UDC), seguindo um código moral que este último chama de “paradoxo”, ou seja, fazer a guerra para se conseguir a paz.

Leia mais…

Preacher – Um pregador à caça de Deus

18/09/2010 4 comentários

Por Jacques

“Só existem dois lugares onde você pode encontrar Deus: na igreja e no fundo de uma garrafa. E eu vou lhe contar uma coisa: na igreja, ele não está!”

É com esta frase seca como um soco no estômago que começa a hq Preacher, criada e escrita por Garth Ennis, com desenhos de Steve Dillon e capas de Glenn Fabri, que é uma destas histórias que, se não existisse, obrigatoriamente teria de ser inventada.

Lançada pelo selo Vertigo, da DC Comics, em 1996, Preacher percorreu um caminho oposto ao das hqs adultas anteriores, juntando humor sádico e politicamente nada correto, violência extrema, situações absurdas, personagens carismáticos e bizarros e uma trama muito bem bolada.

Leia mais…

A Marvel divã (e a DC também)

30/05/2010 1 comentário

Por Rafael

Assiti a uma palestra do psiquiatra Nei Guimarães Machado na Sociedade Sigmund Freud, aqui em Pelotas, sobre os heróis dos quadrinhos à luz da psicopatologia.

Fã dos quadrinhos que surgiram nos anos 40, Nei Machado mencionou uma dezena de figuras heroicas, passando pelas biografias deles, suas façanhas, inimigos e traços patológicos ou do desenvolvimento psíquico. Observou que os traumas de infância são decisivos na aparição de certos “heroísmos”, as vinganças e até de patologias mentais.

Leia mais…

Sou vizinho do Monstro do Pântano

09/12/2009 7 comentários

Por Rafael

Assim, como os japoneses, tenho outros hobbies, além de ser xingado por pastores. Não sou um expert em quadrinhos, mas já que nosso especialista ainda não estreiou a seção HQs, resolvi escrever sobre um dos personagens que mais gosto.

O Monstro do Pântano (Swamp Thing) começou, se não me engano, numa história “one-shot”, algo bem despretensioso, onde o cientista Alec Holland se transforma num monstro metade planta, metade homem, após uma explosão de elementos químicos em seu laboratório. Criativo, não? Aliás, os criadores de super-heróis são bem criativos… Vejam a origem do Flash e do Demolidor.

Leia mais…

Amor e Morte no final dos tempos

30/10/2009 1 comentário